Notícias

20/07/2015
Impactos no cotidiano da Gleba

Espaço ConGP.png
O Conselho de Condomínios Residenciais da Gleba Palhano - ConGp - tem procurado, por meio de reuniões, visitas e ofícios, dirigidos às construtoras que têm empreendimentos na Gleba Palhano, sensibilizá-las com relação a vários assuntos, entre eles, segurança no trânsito, poluição sonora e acessibilidade. Os primeiros resultados, como o fim das sirenes e a construção de calçadas na frente de algumas obras já começam a aparecer. Abaixo reproduzimos teor do ofício encaminhado pelo ConGP às construtoras: Galmo, Plaenge, Artenge, A. Yoshi, Quadra e Vectra:

- A Gleba Palhano tem experimentado crescimento acelerado. São dezenas de torres de apartamentos sendo construídas, ou em processo de início de construção, ao mesmo tempo. O conjunto dessas obras, aliado à grande densidade populacional da nossa região, tem impactado negativamente no meio ambiente e consequentemente na qualidade de vida e na segurança de centenas de famílias de londrinenses, muitas delas clientes dessa prestigiada construtora.   

- O ConGP, com o objetivo de humanizar nosso bairro, oferecer segurança e conforto à população e valorizar ainda mais os empreendimentos aqui existentes, vem, respeitosamente solicitar urgentemente as seguintes  medidas:
cessar o uso de sirenes, método obsoleto de indicar início, intervalo ou fim da atividade laboral, que, utilizado em áreas habitadas, causa transtornos aos moradores: muitas crianças, aposentados e pessoas com necessidades que são obrigados a despertar e a conviver com os barulhos intermitentes das sirenes. 

- Orientar e cobrar dos fornecedores o hábito de não estacionar em fila dupla, em esquinas que impeçam a visão dos motoristas, e em pontos de ônibus, além de sinalizar adequadamente o local de descarga e não interromper o trânsito sem que medidas de segurança sejam tomadas.
- Orientar os colaboradores a estacionar o carro em local correto e a não utilizar o aparelho do carro para ouvir músicas com som demasiadamente alto, de forma a não acordar ou incomodar os moradores vizinhos às obras;
- Orientar os colaboradores a não produzir ruídos em excesso a exemplo de retirar resíduos da carriola com marteladas antes do horário estabelecido para inicio das atividades da obra.
- Nos períodos de estiagem, utilizar o caminhão pipa para molhar o pátio do canteiro de obras e, assim, evitar a movimentação de poeira, ou seja, a poluição atmosférica. 
- Tanto quanto possível evitar a utilização de serras elétricas e outros tipos de equipamentos causadores de ruídos em excesso em locais abertos e minimamente desprotegidos acusticamente.
 - "Proteger" as obras de eventuais ventanias e intempéries climáticas, que possam provocar acidente e, consequentemente, colocar a vida das pessoas em risco. Além disso, construir calçadas com acessibilidade em todo o perímetro das obras e terrenos e mantê-las acessíveis, inclusive durante a obra. 

Janderson Marcelo Canhada/ Presidente do ConGP

Busca