Notícias

17/12/2014
Os súditos de Elvis
Fã-clube londrinense reúne admiradores e peças relacionadas ao "Rei do Rock"
pppp.jpg

Silmara Pinheiro Inácio tinha sete anos de idade quando soube, pela televisão, que Elvis Presley, o cantor mais famoso do mundo, havia morrido. Mesmo criança, ela conhecia bem aquele cara alto, de cabelos pretos, olhos azuis, costeletas compridas e dono de um baita vozeirão.  Sentada no colo do pai, ela costumava ouvir os discos do "Rei do Rock". A morte prematura do cantor, em setembro de 1977, poderia ter dado fim à admiração ainda infantil que ela sentia por Elvis. Mas a história foi bem diferente, como conta Silmara: "Nessa época, eu e minha irmã começamos a colecionar tudo o que estivesse ligado ao Elvis. Principalmente fotos publicadas em revistas". 
Quem também faz parte dessa história de amor pelo cantor americano é Jeferson Inácio, marido de Silmara, e idealizador do fã-clube londrinense TCLE - sigla para "Taking Care and Loving Elvis". Inácio conta que não conhece ninguém mais fã de Elvis Presley do que sua esposa, os dois se conheceram em 1989 e se casaram no ano seguinte. "Quando a gente se casou ela trouxe para casa uma mala só com coisas relacionadas ao Elvis. Era muita coisa mesmo. Nesse momento, percebi o tamanho da admiração dela por ele".  Em 1998, Inácio fundou o fã-clube londrinense de Elvis Presley, propositalmente a data escolhida para fundação coincide com a data de nascimento do cantor, 28 de janeiro de 1935. "Temos 80 associados que participam de nossas atividades. Mas sabemos que existem muitos mais fãs de Elvis em Londrina. Nas nossas festas anuais, 
reunimos, em média, 300 pessoas", explica Silmara. De acordo com Silmara, nesses eventos há apresentação de covers, debates sobre a vida do cantor e um 'karaokeslvis', um karaokê só com músicas de Elvis. 
Quem olha de fora a casa de Silmara e Jeferson Inácio nem imagina que ali funciona a sede do "Taking Care and Loving Elvis".  A admiração por Elvis Presley levou o casal a separar um cômodo apenas para abrigar suas relíquias. Na coleção do fã-clube estão duas palhetas do guitarrista James Burton e uma das baquetas do baterista Ronnie Tutt, músicos que acompanharam Elvis Presley nos anos 1970. Mas o maior tesouro de  Silmara é  um pedacinho da Mansão Graceland, local onde Elvis viveu por vinte anos, na cidade americana de Memphis. "Em uma de nossas visitas à Graceland, eu vi um fiapo solto de carpete na sala "jungle room" e pedi para o Jeferson pegar para mim (risos). Quem sabe o Elvis não pisou nesse fiapo? Para quem é fã, isso é muito legal", conta a presidente do "Taking Care and Loving Elvis.
Outra marca do Rei do Rock foram os figurinos excêntricos que ele usou na última fase de sua carreira.  Jeferson explicou a origem dos jumpsuites, como eram chamados esses trajes de Elvis Presley: "Esses macacões são a mistura de quimonos de caratê com as roupas de super-heróis, duas paixões de Elvis. Tenho dois desses trajes, feitos pelo mesmo costureiro do Elvis; cada um custa três mil dólares, com as taxas de importação eles chegam ao Brasil com o preço de R$12 mil. A Silmara também tem uma versão feminina do jumpsuite e já se apresentou com ele", conta Jeferson Inácio.  
Além de presidirem o fã-clube de Elvis Presley em Londrina, o casal Inácio  tem outras atividades profissionais.  Jeferson é servidor público e cerimonialista; já Silmara é professora da rede municipal. "O pessoal do trabalho sabe que eu gosto das músicas do Elvis e veem isso com naturalidade. Já cheguei a me apresentar duas vezes nas nossas festas de fim de ano", relembra com bom humor Jeferson Inácio. 
Quem quiser entrar em contato com o "Taking Care and Loving Elvis Fan Club" pode procurar as páginas facebook/tclefanclub  ou youtube/tclefanclub. O e-mail de contato do grupo é [email protected] .

Rafael Montagnini

Busca