Notícias

14/11/2014
Segurança comunitária
Todos cuidam de todos
Projeto iniciado no Jardim Shangri-lá poderá ser implantado na Gleba Palhano


Sem títulog.jpg

Idealizado em 2010 pelos moradores do Jardim Shangri-lá A, o projeto Vizinho Solidário é um caso de sucesso na segurança pública de Londrina. O bairro, que agonizava com a desvalorização dos imóveis, o tráfico de drogas e os constantes roubos e assaltos, vive hoje uma situação bem diferente. Gabriela Fontoura, presidente da Associação de Moradores do Jardim Shangri-lá e do Conselho Comunitário de Segurança do Município de Londrina (Conseg), apontou uma drástica redução da criminalidade: "É possível sentir, no dia a dia, que as coisas estão bem mais tranquilas por aqui. Somos uma comunidade atuante e os marginais não gostam disso e vão embora". 
Atualmente, o projeto Vizinho Solidário está espalhado por todas as regiões de Londrina. Ao todo, são 35 bairros replicando a experiência de sucesso dos moradores do Shangri-lá A. O funcionamento do Vizinho Solidário é bastante simples e conta com um lema "Um vizinho cuida do outro". Longe de querer tomar conta da vida alheia, o projeto sugere que os vizinhos se conheçam e possam se ajudar em uma eventual emergência. Gabriela Fontoura explicou que os gastos para instalação do Vizinho Solidário são bem modestos. "Para garantir a segurança do bairro, temos placas que sinalizam as casas e empresas que fazem parte do projeto. Além disso, todos os carros dos moradores também recebem um adesivo da nossa associação. Por fim, cada residência recebe um controle que ativa o alarme sonoro na rua. Esse alarme serve para espantar elementos estranhos e para os moradores chamarem a Polícia Militar". 
Indagada se esse projeto funcionaria em um bairro com as características da Gleba Palhano, Gabriela Fontoura foi enfática: "Com certeza, cada bairro tem suas peculiaridades. O projeto não tem fins lucrativos, nem políticos e não defendemos um formato fechado. Em cada local é feito um catálogo das pessoas que vivem no bairro para só depois iniciar o treinamento e as palestras". 
Em 2012, houve tentativa de se contratar uma empresa de segurança privada para o bairro. O projeto era bastante completo e foi formulado pela comissão de segurança do Conselho de Condomínios Residenciais da Gleba Palhano (ConGP), mas a ideia não vingou por falta de edifícios interessados na contratação da empresa de vigilância. 
Mesmo com a falta de interesse da maioria dos moradores pelo tema, assaltos e roubos continuam frequentes na Gleba Palhano. Marcelo Canhada, síndico do edifício Jardins Residence, e atual presidente do ConGP, promete dar atenção especial ao problema e disse que irá procurar a Associação de Moradores do Jardim Shangri-lá A para implantar o Vizinho Solidário na Gleba Palhano. "Conheço o projeto e seria fantástico implantá-lo aqui, pois esse tipo de ação envolve toda a comunidade e supre uma lacuna que temos em nosso bairro", finalizou. 

Rafael Montagnini

Busca