Notícias

13/11/2014
Patrimônio cultural
Alimentação como patrimônio cultural de Londrina
Livros contam a história da cidade por meio da gastronomia

01.jpg

A identidade cultural de toda cidade passa pela comida. Em Londrina, não é diferente. Colonizada há 80 anos por imigrantes de várias partes do mundo, a cidade é cenário para diversas experiências gastronômicas, que refletem os traços culturais das mais variadas etnias.  
Foi pensando nisso que o historiador Leandro Henrique Magalhães teve a ideia da obra "Gastronomia e Patrimônio Cultural Londrinense". Ele escreveu a publicação em parceria com a professora de gastronomia Mirian Cristina Maretti. A segunda edição do livro foi lançada em setembro deste ano. Magalhães já vinha desenvolvendo um projeto que estuda questões relacionadas ao patrimônio cultural desde 2005, e, em paralelo, passou a lecionar gastronomia em uma universidade particular de Londrina. A partir daí, o historiador ligou as duas coisas e se deu conta de que a alimentação é um dos hábitos que identificam uma cultura. "Quando falamos em patrimônio cultural, estamos nos referindo a identidade, pertencimento, a elementos que aproximam as pessoas", afirma.
Não há como identificar um prato típico de Londrina. A diversidade gastronômica é a marca identitária da cidade. O professor explica que o patrimônio cultural pode ser pensado de duas formas: material - como um quadro, uma estátua - e imaterial. "O imaterial é o intangível, como a alimentação. É um saber que se perpetuou durante esses 80 anos; transformou-se nesse período, mas manteve a essência".
Para a produção do livro, os autores fizeramuma pesquisa documental e histórica das etnias que vieram para Londrina das décadas de 1930 a 1950.Também entrevistaram pioneiros e descendentes de imigrantes para identificar as práticas alimentares desses grupos, que são comuns até hoje. A obra traz receitas italianas, árabes e japonesas, na primeira edição, e alemãs, espanholas e portuguesas, na segunda. 
E, no mês passado, foi lançada a versão infatil da obra, intitulada "As receitas do Gato Caixeiro". O livro, ilustrado e de fácil assimilação, traz três receitas de cada uma das seis etnias. As publicações estão disponíveis para download gratuito no site: www.educacaopatrimonial.com.br.

Receita italiana: Bacalhau

Prato principal/Rendimento: 6 porções
Ingredientes
Bacalhau em lascas: 500 gramas
Azeite: 50 mililitros
Vinho branco: 125 mililitros
Cravos da Índias: quanto baste
Alho: 4 dentes
Louro: 2 folhas
Noz moscada: quanto baste
Cebolinha ou cerefólio: quanto baste
Salsinha: 1 xícara
Cebola: 1 unidade
Sal: quanto baste
Pimenta do reino branca: quanto baste

Modo de preparo

1) Cozinhar as postas de bacalhau, tirar peles e espinhas e desfiar em lascas.
2) Fazer um refogado com o azeite, o cravo, a cebola, a cebolinha, o alho e a folha de louro.
3) Quando dourar, juntar as lascas de bacalhau e misturar com cuidado.
4) Tempere com sal, pimenta, noz moscada e, por último, a salsinha.
5) Servir acompanhado de polenta.

Helene Ayoub Franzon

Busca