Notícias

12/01/2021
“Nossa maior conquista foi resgatar o orgulho de ser londrinense”


Para o prefeito reeleito Marcelo Belinati, tendo como base seriedade, organização e planejamento, a proposta é continuar a fazer de Londrina uma cidade cada vez melhor

 

 

 

Nascido em Londrina, Marcelo Belinati é médico e advogado por formação. Já foi vereador da cidade por dois mandatos (2005 a 1o de janeiro de 2013) e, em 2015, assumiu o cargo de deputado federal. Reeleito como prefeito de Londrina em primeiro turno, com quase 70% dos votos, Marcelo conta como foi o primeiro mandato e o que vislumbra para Londrina no segundo.

 

Como o senhor avalia seu primeiro mandato como prefeito? Quais foram os principais desafios e conquistas?

 

Em quatro anos de mandato, conseguimos solucionar grandes problemas históricos de Londrina, que funcionavam como âncoras, segurando o desenvolvimento da cidade. Entre eles, a Planta de Valores, a questão da Sercomtel, a licitação do transporte coletivo, e, agora, a reforma da previdência municipal. Com essa reestruturação, a prefeitura voltou a ter condições para investimentos, obras e melhorias necessárias. A principal conquista é ter resgatado o orgulho do cidadão de ser londrinense.

 

Como surgiu o interesse pela carreira política?

 

Sou médico e advogado por formação, mas, desde pequeno, a política sempre fez parte do cotidiano de vida da minha família. A vida pública tem muito a ver com a medicina. Em ambos, a principal função é servir as pessoas. Juntando as duas coisas, para mim a vida pública foi um caminho natural.

 

Quais são seus projetos para a área da saúde?

 

Vamos continuar com os projetos que começamos de ampla reestruturação da rede pública de saúde. Já reconstruímos 30 das 54 unidades básicas de saúde e promovemos a reconstrução do PAI e do Centrolab, da Maternidade Municipal, da nova sede da Farmácia Municipal, além de construir a nova sede do Samu.

 

Quais são as medidas que o senhor pensa implantar para o controle da Covid-19?

 

Londrina tem um grau de controle adequado e é privilegiada, contando com mais de 400 leitos de UTI. Estamos monitorando todos os dias e, se houver necessidade, vamos aumentar o número de leitos. Mas as pessoas precisam continuar se cuidando. A pandemia não acabou.

 

Quais são as expectativas para a retomada econômica da cidade no pós-pandemia?

Mesmo em situação de pandemia, Londrina está em um ótimo momento e tem atraído grandes empresas. A cidade é tão forte que já retomou o crescimento antes mesmo de outras cidades do país. Estamos com meses seguidos de saldo positivo de empregos.

 

Com o aumento da violência doméstica, quais são as medidas que o senhor têm em vista para esse combate em particular?

 

Em Londrina, temos uma política pública adequada à proteção da vida da mulher. Estamos implantando oficialmente a Patrulha Maria da Penha, instituímos o Botão do Pânico, inauguramos a nova sede do Centro de Referência em Atendimento à Mulher. Também instituímos oficialmente a Rede Municipal de Enfrentamento à Violência Doméstica, Familiar e Sexual contra as Mulheres.

 

Qual ação a prefeitura pretende executar em 2021 para melhorar o trânsito na região da Gleba Palhano?

 

Temos várias ações em fase de projetos ou de processo licitatório, que podem não ser executadas este ano ainda, mas que já estão em andamento. Algumas são a conclusão da duplicação da Faria Lima, o asfalto da Constantino Pialarissi, a duplicação da Av. Octávio Genta, que vai desafogar muito o trânsito. Pretendemos fazer também o oitão no viaduto da Avenida Me. Leônia Milito com a PR 445, além da transferência da antiga ciclovia da Ayrton Senna para a rua Haiti, paralela. 

 

 

Por Milene Pascoal

Busca