Notícias

13/11/2018
As sopas de Portugal - São menos famosas que o bacalhau ou os pastéis de nata, mas marcam presença – seja inverno, seja verão – nas refeições dos portugueses
O país da sopa
Seja no almoço ou no jantar, todo dia é dia de sopa em Portugal

6B879015-18F3-438D-B2E2-6E7FF0B8EE49.jpeg

Com uma rica e milenar culinária, Portugal é um dos melhores destinos para quem gosta de comer bem. É difícil encontrar um turista que saia de barriga vazia desse fascinante pedacinho da Europa Ocidental.
Com apenas 92.212 km² de extensão, um pouco menor que o estado de Pernambuco, o país possui uma forte tradição culinária de norte a sul, com pratos famosos que encantam o mundo inteiro. 
Além das variações no preparo do bacalhau (à Brás, às natas, à Gomes de Sá, ao forno e o famoso bolinho), outros pratos, como arroz de pato,  polvo à Lagareiro, o sanduíche Francesinha, sardinhas na brasa, vários tipos de queijos,  vinhos, azeites e incontáveis doces, em especial, aquele à base de ovos de Aveiro, e, claro, os famosos pastéis de nata fazem a delícia dos gourmets. Mas existe uma outra refeição que praticamente nenhum português deixa de fora: a sopa! 
Pode parecer estranho, mas por aqui ela é onipresente na mesa dos portugueses. Seja no almoço ou no jantar, a sopa é saboreada diariamente. Não importa a temperatura ou o dia da semana. Inclusive, existem receitas especiais para datas comemorativas, como a Páscoa e o Natal. Do bandejão universitário ao McDonald’s, ela está presente em todas as mesas. “Começamos com uma sopa, o nosso primeiro prato e a nossa principal fonte de vegetais”, explica Rita Reis, universitária portuguesa. O brasileiro Fernando Castro, aposentado, vive há três anos em Portugal e confessa que no início dispensava a sopa em suas refeições: “Para mim, tomar sopa estava associada ao frio; como cheguei na época do verão europeu, não a consumia. Hoje, já estou acostumado e nunca dispenso o prato. A de que mais gosto é a sopa de queijo”.
Até recentemente, Portugal era um país empobrecido, se comparado a outros países europeus, e a sopa era considerada a principal refeição de muitas famílias de baixa renda. Assim, outros pratos servidos no almoço e jantar eram vistos como menos importantes. Com a ascensão econômica da última década, a sopa está perdendo espaço na mesa dos portugueses. Alguns nutricionistas apontam que esse pode ser o motivo que está levando tanta gente a não a consumi-la nos dias de hoje - a sua associação com a pobreza.
A sopa portuguesa é um pouco diferente das sopas consumidas no Brasil. Em Portugal, ela se parece mais com o que chamamos de caldo. Nelas, dificilmente há pedaços de verdura, carne ou macarrão. A sopa é servida junto com um pedaço de pão. Para quem gosta de vinho, um cálice torna a experiência perfeita. 
Pela sua riqueza nutricional e seu baixo valor calórico, a sopa é uma boa alternativa para quem quer se manter saudável e em forma. Conheça três receitas de sopas portuguesas: 

Sopa de Alface - batatas, cebola e cenoura ou abóbora. Cozinhe tudo muito bem e depois triture tudo. Junte a alface cortada e um fio de azeite.  Deixe cozinhar um pouco mais e sirva! 

Sopa de Cenoura - nabo, batata, cenouras e cebola. Depois de bem cozidos, triture os legumes até obter uma sopa cremosa. Tempere com sal e um fio de azeite. 

Sopa de Agrião - água, batata e (pouca) cenoura. Cozinhe, tempere, triture e, no final, junte o agrião e um fio de azeite. 

Rafael Montagnini

Busca