Notícias

17/09/2018
Novo recurso estético combate o temido bigode chinês, levanta as maçãs do rosto e ainda estimula a produção de colágeno
Fios de PDO eliminam rugas e flacidez facial 
Novo recurso estético combate o temido bigode chinês, levanta as maçãs do rosto, devolve o contorno natural da face e pescoço e ainda estimula a produção de colágeno

Antes e depois - viva.jpeg

Os Fios de Sustentação PDO (ou fios de Polidioxanona) são uma das novas sensações no setor da estética. Esse procedimento veio para acabar com a flacidez facial de uma forma menos invasiva e mais duradoura. 
Segundo o médico esteta, Fernando Czap, o recurso consiste em um conjunto de fios de polidioxanona (PDO), fibra sintética biodegradável e totalmente absorvida pelo organismo humano, e é indicado para áreas que necessitem de um efeito “lift facial” e áreas que precisem de estimulo de colágeno. A técnica reposiciona o colágeno endógeno, organizando as fibras e devolvendo o tônus da pele. “Após a aplicação com agulhas finas, e permanecendo o fio absorvível nas camadas da pele do paciente, a PDO age causando estímulo (circulação sanguínea e fibroblastos) na região da aplicação e nas áreas ao redor, aumentando a produção de colágeno e elastina. A reação interna forma fibrose sobre o músculo tratado, sendo ela a responsável pela manutenção dos resultados, mesmo após a absorção completa dos fios (seis a oito meses). E a aplicação de ácido hialurônico associado causa uma atração de moléculas de água para o local, estimulando a hidratação”, conta.
A professora aposentada Neusa Nery Proença fez o procedimento há quatro meses e está muito feliz com os resultados obtidos. “Sou contra botox e preenchimentos muito agressivos, mas sentia que a pele das bochechas e a bolsa abaixo dos olhos estavam muito flácidas. O dr. Fernando tinha comentado comigo sobre esse procedimento, então resolvi fazer. Foi muito rápido e tranquilo; não senti dores, pois tem anestesia local, apenas sentia que ele estava mexendo na minha pele. Após algumas semanas, já notava diferença. Hoje é muito perceptível, estou me sentindo extremamente jovem e as pessoas vivem perguntando o que eu fiz. Isso me deixa muito feliz, pois tenho 72 anos e sempre me dão 10 a 15 anos menos. Agora, pretendo realizar o mesmo procedimento no pescoço e colo”, comenta.
Os fios começam a agir imediatamente; porém, após algumas semanas (três a quatro semanas) é que os efeitos mais visíveis começam a aparecer. O efeito máximo atingido surge cerca de três meses após a aplicação. “A melhora é gradual e os efeitos são duradouros devido à reação ocorrida nas camadas da pele do paciente. Não é algo que está “puxando” a pele do paciente, mas sim um procedimento que fez com que o corpo dele reagisse, sendo estimulado a produzir substâncias naturais do nosso corpo que irão estar presentes mantendo o resultado alcançado. Temos pacientes que, com 18 meses de aplicação, ainda percebem a alteração alcançada”, ressalta Fernando Czap.
O procedimento é simples e rápido, com retorno às atividades normais quase que de imediato. Percebe-se que são inúmeros os benefícios, mas, como boa parte dos procedimentos estéticos, existem algumas contraindicações, como a não recomendação para grávidas, lactantes, e pessoas com diabetes não controlada; doenças autoimunes ativas; doença cardiovascular aguda e infecção na área a ser tratada. O valor do procedimento depende muito de paciente para paciente, já que as áreas a serem tratadas irão determinar a quantidade de fios a serem utilizados. 

Talita Oriani

Busca