Notícias

07/05/2018
Sílvia Imaculada de Lima, atual presidente da Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais de Londrina, relembra sua trajetória de sucesso
À frente da BPW Londrina
Para a nova presidente da Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais de Londrina, o sucesso profissional e familiartem receita: manter o foco, fortalecer-se na fé e não desistir nunca

IMG_5205.JPG

Sílvia Imaculada de Lima,a atual presidente da BPW (Business Professional Women) Londrina, foi pioneira em inovação estratégica, quando a palavra empreendedorismo não estava na moda nem era opção para o trabalhador brasileiro. Sílvia casou-se aos 16 anos e, aos 23, já era mãe de três filhos. Apesar das demandas pessoais, tinha visão apurada para resolução dos problemas e boa capacidade organizacional. Fez duas faculdades ? Educação Artística e Contabilidade. Cursos distintos, mas que ajudaram a formar, com equilíbrio, suas perspectivas de negócio, família e espiritualidade.
Ao lado do marido, o contador Pedro Oliveira Filho (já falecido), assumiu a administração do Escritório de Contabilidade Oliveira & Lima, uma empresa pioneira, que começou há 65 anos com o seu sogro e se tornou uma das principais referências em gestão contábil do Paraná.
Fé, positividade, determinação e resiliência foram primordiais para que a contadora se tornasse uma mulher plenamente realizada. ?Temos de estabelecer nosso nível de comprometimento e dedicar todo o tempo e esforço necessários para obter êxito, seja no ambiente doméstico ou profissional. Se quer ser mãe, esposa e profissional de sucesso, tenha muito foco, fé e não desista nunca?, diz. Confira abaixo a entrevista que concedeu ao Jornal da Gleba e conheça um pouco mais desta mulher que inspira tantas outras.

Jornal da Gleba ? Como, tão jovem, conseguiu conciliar as responsabilidades de mãe, esposa e profissional?
Sílvia de Lima ?Foi um verdadeiro sufoco! Naquela época não tinha fralda descartável (risos). Era muito difícil e eu era muito nova, meu esposo também, mas eu sempre quis trabalhar, ser uma profissional bem sucedida, além de querer muito ser uma ótima mãe. Esses sonhos permitiram que eu não desistisse e não parasse de estudar, independentemente da situação. Não é fácil, mas é possível. A gente tem de ter muita fé e determinação.

JG ? Você foi casada por mais de 40 anos, qual o segredo para manter uma relação por tanto tempo?
SL - Depois de muitos altos e baixos, estabelecemos a nossa individualidade. Tínhamos o nosso espaço e um limite, não invadíamos o do outro. Eu tinha meus momentos com meus amigos, assim como ele. Isso foi essencial para salvarmos a relação, nos mantermos casados e apaixonados. Os dois investiram, queriam fazer dar certo e deu. Hoje em dia, falta esse investimento nas relações.

JG ? Como surgiu essa paixão por trabalhos sociais?
SL - Quando meu esposo faleceu, entrei em várias associações para ocupar a cabeça. Fiquei um ano assim e foi ótimo, aprendi muito! Depois, fui me afastando de várias, pois realmente tomava todo meu tempo. Mas continuo participando das ações sociais de algumas instituições, pois é imensamente gratificante ver o efeito que isso traz para a sociedade. Iniciar um projeto, vê-lo dando certo e se mantendo, mudando vidas, é uma satisfação inexplicável.

JG- Mãe, esposa, profissional bem-sucedida... O que coopera mais para sua realização?
SL - Sem dúvida alguma,a maternidade. Eu sempre quis ser mãe, meus filhos são tudo na minha vida e se hoje me sinto tão feliz e realizada é devido a eles. Sou realmente abençoada, pois tive três filhos incríveis, que me deram cinco netos lindos.

Talita Oriani

Busca