Notícias

07/11/2017
Alimentação saudável, vida melhor
Feira reúne produtos naturais livres de agrotóxicos 

MENU-Roberto FranciscoDivulgação (2).jpg

O Brasil é campeão mundial no uso de agrotóxicos e segue na contramão do mundo, que reduz progressivamente o uso de substâncias tóxicas nos alimentos e no meio ambiente. O alerta foi feito pelo endocrinologista e nutrólogo Leonardo Higashi em palestra na Vila Verde Catuaí, feira de produtos naturais e orgânicos, que segue até o final de novembro no shopping, sempre às quartas-feiras, das 17h às 22h.
Em sua palestra, Higashi afirmou que o Instituto Nacional do Câncer (INCA) divulgou recentemente um alerta que mostra os riscos aos quais os brasileiros estão expostos. Em média, cada cidadão “consome” 5,2 kg de agrotóxicos por ano.
Existem inúmeras substâncias nocivas à saúde no meio ambiente, como produtos de plásticos e de combustão, conservantes, solventes industriais, metais pesados e outros. A contaminação se dá tanto pela ingestão de produtos presentes nos alimentos, na água, no ar que respiramos e pela pele ou mesmo pelo uso diário de produtos com poder de toxidade, e que utilizamos sem nos dar conta do risco.
São, por exemplo, os recipientes plásticos em que resfriamos e aquecemos a comida, repletos de BPA (Bisfenol A) e ftalatos, que se desprendem e contaminam o alimento. A recomendação é substituir esse tipo de utensílio por vidro. “Podemos dizer que cada organismo tem naturalmente predisposição genética para algumas patologias. As toxinas ‘jogam lenha na fogueira’”, comenta o médico, citando o maior risco para câncer, cardiopatias, obesidade, doenças autoimunes, infertilidade, diabetes.
Nem sempre é possível ter consciência do risco presente em nossa rotina, como usar excessivamente desodorantes com alumínio ou repelentes, cremes com parabenos, amálgama nos tratamentos odontológicos, cosméticos e tantas outras substâncias.  Até mesmo o arroz, base da dieta da maioria dos brasileiros, pode representar risco. Higashi afirmou que pesquisas mostram a presença de arsênio nesse alimento, “um metal pesado que não é eliminado no processo de preparo”.
O que se recomenda, disse o especialista, é o uso racional dos alimentos porque as substâncias tóxicas são nocivas com a exposição crônica, o uso cumulativo. É importante a adoção de hábitos que ‘trabalhem’ a favor do organismo, como ingestão de alimentos orgânicos, especialmente crucíferas (couve-flor, espinafre, brócolis, nabo, rúcula, agrião e outros), alho, chá verde, além da prática de exercícios regulares. “São alternativas para a redução dos impactos das toxinas no organismo”, afirmou.
A Vila Verde Catuaí conta também, além dos fornecedores de produtos naturais e orgânicos, com uma programação de shows e palestras. O evento vai até o dia 29 de novembro.

Da editoria

Busca