Notícias

07/11/2017
Unidos pela Gleba Palhano
Antigos e novos integrantes do ConGP relembram a trajetória de conquistas da entidade que completa oito anos este mês      

GLEBA-MATÉRIA-MONTAGNINI.JPG

Há exatamente oito anos, um grupo de moradores da Gleba Palhano se reunia pela primeira vez para discutir questões importantes do bairro. Aquela reunião, realizada no condomínio Le Corbusier, seria o embrião do que viria a ser o Conselho de Condomínios Residenciais e Comerciais da Gleba Palhano, o ConGP. ?Existia um clima muito bom, quase familiar, naqueles primeiros encontros. Éramos todos vizinhos, dispostos a trocar experiências na gestão dos condomínios, e buscávamos, de forma solidária, transformar a Gleba Palhano em um local bom para se viver?, conta Carlos Scalassara, um dos idealizadores do ConGP. Carlos conta que até mesmo a disposição das cadeiras nas reuniões era feita para que todos pudessem se sentir iguais: ?Fazíamos um círculo para que não houvesse lideranças, todos tinham voz. Isso porque somos uma associação de condomínios e não de pessoas; assim, o síndico do prédio que preside o conselho assume a função de presidente?.  
Alexandre Felix, ex-síndico do edifício Paranoá, foi o primeiro a presidir o conselho. Naquela época, o iminente aumento abusivo do IPTU levou o ConGP a se formalizar e a se organizar como uma entidade que representava o bairro. Foram diversas reuniões com vereadores, com a equipe da Secretaria de Fazenda do município, até que o aumento fosse retirado da pauta. 
Em maio de 2011, com a aprovação de seu estatuto, o ConGP passou a ser uma entidade formalizada, assim como outras associações de bairro de Londrina. De lá para cá, o conselho apoiou diversas demandas da população, como a mudança no trajeto dos superpostes da Copel, para que não passasse por dentro do bairro, e a alteração no sentido de algumas vias importantes. Além disso, o conselho lutou contra a poluição sonora na Avenida Madre Leonia Milito; organizou encontro com autoridades políticas para discutir problemas urbanísticos do bairro; realizou compras coletivas e chegou a fazer um leilão com as empresas que fornecem gás para a maioria dos edifícios do bairro, sendo a vencedora a que ofereceu o menor valor. 
Mesmo com esse histórico de bons serviços prestados, o ConGP carece de novos membros. ?A Gleba Palhano é uma região da cidade em que vivem pessoas muito talentosas, pessoas que podem contribuir com o que sabem para que sejamos uma comunidade mais fraterna. Alguém que entenda de urbanismo, por exemplo, outro que seja um profissional de eventos, outro que seja da área jurídica, enfim, os mais variados talentos são bem-vindos?, diz Scalassara.
Com o aumento da criminalidade no bairro, com roubos, assaltos, sequestros e até mesmo tiroteios ocorrendo na proximidade de agências bancárias instaladas aqui, a falta de segurança passou a ser a principal preocupação do conselho. Marcus Ginez, síndico do edifício Júlio Ribeiro, e atual presidente do ConGP, conta que o plano de segurança terá a instalação de 82 supercâmeras, localizadas em 17 pontos estratégicos, para vigilância de ruas e avenidas do bairro, e conta com o apoio da Guarda Municipal de Londrina. ?Além disso, desejamos modernizar as minirrotatórias, e substituir as antigas placas de ruas por ?ecoplacas??, planeja Ginez. 
Para que o projeto, finalmente, entre em ação, é preciso captar aproximadamente R$2.700.000,00. Em uma primeira tentativa, o ConGP esperava que esse valor fosse dividido entre moradores e comerciantes do bairro. Caso o engajamento chegasse a 100%, o valor do rateio para cada sala comercial e apartamento seria de apenas R$252,31. 
O ConGP convocou todos os síndicos do bairro para apresentação deste plano, mas, dos mais de 90 condomínios, apenas 36 compareceram. Mesmo com a total falta de comprometimento dos síndicos com assunto tão importante, a atual administração do conselho continua otimista e espera encontrar outras formas de arrecadar o montante. ?Temos um vídeo que detalha por completo esse plano de segurança. O morador que quiser recebê-lo poderá apresentá-lo ao seu síndico e à assembleia do condomínio. Nosso e-mail é [email protected] Estamos à disposição para comparecer a essas reuniões condominiais?, finaliza Ginez. 

Legenda ? 
Novos integrantes e fundadores do ConGP se encontram para um bate-papo sobre os rumos da Gleba Palhano. Na foto: Danilo de Lucca, edifício Torre Valência; Maurício Sanchez, edifício Villa Lobos; Marcus Ginez, edifício Júlio Ribeiro; Alexandre Felix, edifício Paranoá; Alessandra Resquetti, edifício Authentique e Carlos Scalassara, edifício Paranoá.  

Rafael Montagnini

Busca