Notícias

10/07/2017
Olé! O flamenco de Michel Cássin
Com muita dança e música, dançarino celebra a cultura da Andaluzia 

Image-3.png

Aos 12 anos de idade, o coração do pequeno Michel Cássin foi arrebatado pela beleza da música e dança flamenca. O bailarino relembra o dia em que conheceu o ritmo espanhol como um apaixonado que se recorda do primeiro amor: "Estava na escola e ouvi ao longe uma música diferente.  Conforme me aproximava do palco, o som aumentava; lembro que minhas pernas tremiam. Quando enfim cheguei pertinho dos bailarinos, tive uma epifania de que aquilo seria parte essencial da minha vida daquele momento em diante".
Michel Cássin é maringaense, mas vive em Londrina desde os 18 anos. Hoje, aos 39 anos, é o destaque da música espanhola na cidade, comandando uma companhia de dança que leva o seu nome. 
Há quatro anos, ele promove uma mostra de artes andaluza, divulgando a cultura da região espanhola de Andaluzia, que criou o flamenco. Neste ano, o evento aconteceu no inicio do mês de julho. Além da apresentação de músicos e bailarinos renomados nacionalmente, a gastronomia e as artes plásticas andaluzas são exaltadas e apresentadas ao público londrinense. 
Morador da Gleba Palhano, Michel nos recebeu no espaço onde ministra suas aulas de flamenco: 

Jornal da Gleba - Além do flamenco, você tem outra ligação com a cultura espanhola?
Michel Cássin - Meu falecido pai tinha origem árabe e minha mãe tem ascendência espanhola, mais precisamente da Andaluzia. Mesmo antes de ter visto uma apresentação de flamenco, lembro do meu avô tocando acordeão e da minha avó cantando esse tipo de música,  acompanhada com as famosas castanholas. 

JG - Então você teve apoio da sua família para seguir a carreira artística? 
MC - Minha família toda trabalha na área da saúde; portanto, meus pais tinham receio de que eu pudesse passar necessidade como artista. Cheguei a passar no vestibular de medicina, mas não era isso o que eu queria. Segui meu coração e fiquei com a dança. Com o tempo, essa preocupação familiar acabou e hoje todos são muito orgulhosos da minha trajetória profissional.

JG - Você já esteve na Andaluzia, terra do flamenco? 
MC - Sim, é um lugar que amo muito. Quando cheguei à Granada, fiquei encantado com a cidade. É um lugar apaixonante, onde aprendi muita coisa importante para o meu desenvolvimento artístico. 

JG - Como você define o flamenco? 
MC - O flamenco nasceu como uma dança de protesto, muito sensual, viril e que carrega muito sentimento; por isso, é tão apaixonante para quem dança e tão bonita para quem vê. 

JG - Quando serão as próximas apresentações de sua companhia de dança em Londrina? 
MC - Tenho duas apresentações agendadas; uma em outubro, no Teatro do Colégio Mãe de Deus e outra no Teatro Marista, em novembro.  Ainda não tenho as datas confirmadas; por isso, quem se interessou pode acompanhar o meu perfil no Facebook (FB/Michel Cassin). 

Rafael Montagnini

Busca