Notícias

10/04/2017
A cozinha engajada de Bela Gil
A apresentadora acredita que mudança de paradigma alimentar está relacionada a transformação de concepções políticas, econômicas e sociais 

Menu (1).jpg

Tudo começou há 15 anos, quando iniciou práticas de yoga. "Diminuí a quantidade de açúcar, de carne, de produtos ultraprocessados. E percebi uma melhora no meu organismo, no humor, no bem-estar". Foi nessa linha de abordagem que Bela Gil - nutricionista, apresentadora do canal GNT e escritora - iniciou sua palestra no último 8 de março, Dia Internacional da Mulher, no Aurora Shopping, pelo projeto Mulheres Gourmet. 
As empresárias Thais Polizelli de Almeida e Yara Polizelli Dalla Maria, proprietárias da Sabor e Saúde, contam que trouxeram a apresentadora para Londrina motivadas pelo seu estilo de vida diferenciado e saudável. "Conseguimos três objetivos: comemorar o Dia Internacional da Mulher; presentear e parabenizar as mulheres, com a vinda da Bela Gil, e ajudar, com o evento filantrópico, entidades que precisam", avaliaram. Para ter acesso ao convite era necessário trocar por alimento.
Entre os diversos temas abordados por Bela, destaque para a mudança de paradigma social, econômico, político, ambiental e de saúde por meio da comida. "Pode parecer utópico, mas é algo que, para mim, é muito verdadeiro. Acho que podemos, sim, usar o alimento como uma ferramenta para transformar o mundo", defendeu a nutricionista.
Para a apresentadora, a comida verdadeiramente saudável é aquela que faz bem, não só para quem come, mas para a natureza e para o produtor. "Pensar só no prazer do paladar é uma maneira um pouco egoísta, um pouco simplista de pensar a comida. Acredito que o prazer da comida não é nada, se ela causa fome mundo afora, perigo à saúde ou dano ambiental", ponderou Bela.
A nutricionista sugeriu três passos rumo à proposta de alimentação saudável. O primeiro é cuidar da terra. "Para isso, a diversidade no nosso prato é muito importante. A diversidade é fundamental para a biodiversidade", afirmou. O segundo passo é evitarmos alimentos industrializados ultraprocessados. "São aqueles que, de tão extensa, quase não conseguimos ler a lista de ingredientes no rótulo", exemplificou.
E o terceiro, a redução do consumo de açúcar. "O problema não é o açúcar, mas a quantidade que consumimos", observou Bela. Segundo a escritora, uma latinha de refrigerante possui 35g de açúcar, o que representa 40% a mais do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de 25g diários.
No final, Bela Gil preparou duas receitas: vitamina de morango com pitaia e peixinho frito. "Peixinho é o nome de uma planta alimentícia, folha verde, também conhecida como lambari", frisou.

Receitas da Bela Gil
Vitamina de morango com pitaia
Ingredientes:
- ¼ xícara de castanha de caju crua, hidratada por 6 horas
- 1 pitaia
- 1 xícara de morango
- 400ml de água e/ou gelo
- 2 colheres de sopa de mel cru ou melado de cana
Modo de Preparo:
- Bata tudo no liquidificador até virar um suco bem cremoso
Rendimento: 2 copos
Tempo de Preparo: 10 minutos
Nível de dificuldade: fácil

Peixinho frito
Ingredientes:
- 1 maço de peixinho (folha verde, também conhecida como lambari)
- 300g de farinha de mandioca
- 100g de fécula de mandioca
- 1 copo de água
- 1 pitada de sal
- ½ litro de azeite extra virgem
Modo de Preparo:
- Misture a fécula com um pouco de água e sal
- Passe o peixinho na mistura e depois na farinha de mandioca
- Frite em azeite quente
Rendimento: 4 porções
Tempo de preparo: 30 minutos
Nível de dificuldade: médio

Hugo Kitanish 

Busca