Notícias

18/07/2016
Da faxina à administração da Gleba Palhano
Sidnei Amaro relembra sua trajetória até chegar ao ConGP

asdad.jpg


Como muitas pessoas de origem humilde que trabalham na Gleba Palhano, Sidnei Amaro começou a vida profissional como faxineiro do edifício Lac Royal. Há 13 anos, o jovem retornava ao norte do Paraná, após passar sete anos como soldado do Batalhão da Guarda Presidencial, o BGP, em Brasília. "Voltei para o Paraná e fiz pequenos serviços, mas não encontrava algo que pudesse me sustentar, até que apareceu o trabalho de faxineiro em um dos prédios aqui do bairro. Como não podia me dar ao luxo de ficar escolhendo aceitei na hora o trabalho". Amaro relembra que, nessa época, a região tinha poucos prédios e muitos sítios com plantações de milho, café e hortas. Como a Gleba Palhano, Sidnei também evoluiu, realizou todos os tipos de trabalho dentro de um condomínio, passando da limpeza à portaria e fez diversos cursos até ocupar o cargo de administrador condominial. Sidnei, que também é bacharel em direito, assumiu há três anos a secretaria do ConGP. Cabe a ele auxiliar o presidente da entidade e, muitas vezes, representar o conselho junto ao Poder Público. Sidnei Amaro recebeu o Jornal da Gleba no Condomínio Vilanova Artigas para esta entrevista. Confira:

Jornal da Gleba - O senhor chegou à Gleba Palhano como faxineiro e hoje ocupa a secretaria do ConGP. O que diria para quem está começando a trabalhar em um edifício?
Sidnei Amaro - Dedicação. Sempre dei o melhor de mim, por mais simples que fosse a tarefa, sempre fiz tudo com muito esmero.  Isso é algo que aprendi no tempo em que passei no Exército. 

JG- Como o senhor chegou ao ConGP?
SA- Antes de trabalhar para o conselho, já havia participado das reuniões por curiosidade. Há três anos, quando a professora Rita de Cássia Ferreira Leite, síndica do edifício Vilanova Artigas, assumiu a presidência do conselho, ela me convidou para trabalhar na secretaria, e um pedido dela para mim é uma ordem (risos). 

JG- Como assim?
SA- Há quinze anos trabalhamos juntos, a professora Rita de Cássia foi a primeira pessoa que estendeu a mão para mim. Sempre acreditou no meu potencial, colocando-me à frente de novos desafios. Por insistência e ajuda dela, e lhe agradeço por isso, completei o ensino superior. Hoje, sou bacharel em direito. 

JG- Qual é o trabalho do secretário do ConGP?
SA- É auxiliar a presidência do conselho, que atualmente está com o edifício Jardins, representado pelo síndico Marcelo Canhada. Antigamente, o presidente tinha de fazer tudo. Fora suas obrigações pessoais, também tinha de ir atrás das demandas do bairro. Além desse apoio à presidência, ainda ajudo as coordenadorias, gerencio a central de compras, organizo as reuniões, convido as autoridades, e, muitas vezes, represento o ConGP em reuniões na prefeitura e em outros órgãos públicos. 

JG- Qual é o seu sonho?
SA- Morar na Gleba Palhano e ter minha própria administradora de condomínios. É para isso que eu venho me preparando. 

Rafael Montagnini

Busca