Notícias

14/03/2016
Igapó remodelado
No entorno dos lagos, área será urbanizada para melhor utilização do espaço 

DSC_0985.jpg
Mesmo já contando com uma infraestrutura razoável, tanto o lago Igapó II como o aterro vão ganhar uma série de melhorias previstas no projeto do Parque Linear do Ribeirão Cambezinho. 
O nome é provisório, mas o projeto é antigo e faz parte do plano de revitalização das áreas de fundos de vale da prefeitura de Londrina. O parque se estenderá da barragem do lago I, passando pelo Igapó II, pelo aterro, Igapós III e IV, chegando próximo à nascente do ribeirão Cambezinho. Além disso, serão revitalizados também o córrego Água Fresca e o Vale do Rubi. 
Todo o entorno dos lagos será interligado com ciclovias e pistas de caminhada. Também serão instalados bancos, lixeiras, suportes para guardar bicicletas, quadras esportivas e outros equipamentos de lazer. Especificamente no lago Igapó II e no aterro, áreas muito utilizadas pelos moradores da Gleba Palhano, será construída uma ciclovia interna, quadras esportivas de areia, pista de caminhada no aterro, e melhora do calçamento no Igapó II. 
De acordo com Ignes Dequech Alvares, diretora presidente do Instituto de Planejamento Urbano de Londrina - IPPUL, o dinheiro para as obras do Parque Linear do Ribeirão Cambezinho vem de um empréstimo concedido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento, o BID. "O dinheiro já está disponível no banco, mas precisamos da anuência do Governo Federal, pois se trata de um empréstimo internacional. O ano passado foi um período complicado, e, devido ao momento financeiro instável do país, a STN (Secretária do Tesouro Nacional) ainda não deu a aprovação para esse empréstimo", explica Ignes Dequech Alvares. 
Mesmo sem uma data prevista para início e conclusão das obras, a ideia do IPPUL é que o parque saia do papel em futuro próximo. Para isso, o instituto pretende fazer parcerias que possam dar início a algumas obras do parque. "Qualquer empresa, pessoa física ou associação de bairro, como é o caso do ConGP na Gleba Palhano, pode ir até a CMTU, e conhecer detalhes do projeto e se tornar nosso parceiro. Por exemplo, um empresário pode se interessar em cuidar dos bancos de uma determinada área do Parque Linear. Em troca da construção e manutenção, serão dados à empresa espaços publicitários nesses locais", comenta a diretora. Essa ação faz parte do Programa Boa Praça, que viabiliza a parceria entre o poder público e a iniciativa privada. 
Quando foi lançado, o projeto Boa Praça recebeu diversas críticas por parte do empresariado da cidade, por ser bastante burocrático e com baixo retorno comercial. Mas a diretora do IPPUL garante que esses problemas foram resolvidos com alterações que deixaram o processo mais rápido e menos burocrático. 
Quando estiver pronto, o Parque Linear do Ribeirão Cambezinho se tornará o principal cartão-postal dos londrinenses. Tudo será padronizado, os mesmo equipamentos de lazer do lago I serão disponibilizado nos outros lagos do parque. A ideia é que o visitante, ao chegar à cidade de avião, veja lá de cima uma faixa contínua de vegetação, pistas de caminhada e ciclovia. De acordo com Ignes Dequech Alvares, com o novo parque, Londrina será uma das cidades com mais áreas verdes utilizáveis na América do Sul.  

Rafael Montagnini
Foto: Mario Jorge Tavares

Busca