Notícias

22/12/2015
Sem chance para o pedestre
Mesmo tão perto da Gleba Palhano, fica mais fácil chegar ao shopping  Catuaí de carro ou usando transporte público
IMG_5437.JPG

Quem mora na Gleba Palhano tem o privilégio de viver entre o cartão-postal mais famoso da cidade, o lago Igapó, e o maior shopping center de Londrina, o Catuaí. Infelizmente, para quem vive por aqui e gosta de dar suas caminhadas por aí, nem sempre é possível chegar onde quer com segurança.    
Se quem sai dos edifícios para caminhar no lago Igapó II encontra um caminho seguro, o mesmo não se pode dizer de quem quer ir até o shopping Catuaí caminhando.  Há muito tempo o Jornal da Gleba recebe reclamações de moradores do bairro que gostariam de utilizar esse caminho, mas não o utilizam por medo dos problemas ali existentes. 
Resolvemos fazer todo o trajeto que liga a Gleba Palhano até o shopping Catuaí caminhando. Demos início à nossa caminhada a partir do edifício Due Torri, o mais próximo do shopping. No total, foram 900 metros de caminhada, percorridos em 20 minutos. Apesar da pouca duração, encontramos vários problemas para os pedestres e, para quem tem necessidades especiais, o caminho é impossível de percorrer. 
Para começar, a alta velocidade dos carros na Avenida Madre Leonia Milito já é um fator de risco para os pedestres, impedindo que se faça a travessia das pistas de forma segura. O pior local percorrido por nossa reportagem foi no viaduto da PR-445 sobre a Avenida Madre Leônia Milito. O trajeto requer que se ande pelos buracos, no barro e restos de entulho, sobrando para o pedestre se aventurar próximo aos carros que trafegam em alta velocidade. "É um absurdo essa situação. Você escolhe entre se sujar ou andar pertinho dos carros. Complica muito para quem desce do ponto de ônibus e precisa trabalhar", diz o zelador Gilmar Augusto Silva. Ele também reclama da falta de iluminação dos dois lados da pista: "Isso aqui à noite é uma escuridão. Se tivesse iluminação por aqui iria melhorar muito pra gente".  
Quem também reclama da situação é Sidineia Maria Martineli, moradora da região. Ela diz que tem muito medo de ser atropelada no trajeto até o shopping. "Muita gente, que gosta de caminhar, fica impedida de passear a pé porque não existem as mínimas condições para isso. Acho que deveriam existir grandes calçadas dos dois lados da avenida. Com uma boa iluminação, seria ótimo ir ao shopping caminhando", analisa. A reportagem verificou que, no lado de quem vai para o shopping, logo após o viaduto, existe calçamento, mas o mato, que chega até o joelho, dificulta a caminhada. 
De acordo com o superintendente regional José Ferreira Heidegger, do DER em Londrina, as obras do viaduto estão incompletas, mas está no projeto a colocação de calçamento e grama nos dois lados da pista. Contudo, não há previsão de finalização para o acabamento da obra. 
Enquanto isso, o mais prudente é adiar a caminhada prazerosa e continuar usando carro, moto ou transporte público para chegar ao shopping.

Rafael Montagnini

Busca